A distribuição de repelentes para gestantes cadastradas no programa Bolsa Família teve inicio no último dia 07 abril na Unidade Básica de Saúde do Conjunto Habitacional Milton Monteiro. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde do Município (SMS).

O produto serve para combater o Aedes Aegypti, pernilongos e outros mosquitos que também transmitem doenças. Na capital da fé, segundo o órgão, quase mil mulheres têm direito a receber o repelente.

Para facilitar o acesso das beneficiárias, a SMS criou uma programação de atendimento de acordo com o último Número de Identificação Social (NIS) impresso no Cartão do Bolsa Família do titular do benefício.

Em nota divulgada pela Secretaria de Saúde, a titular da pasta Dra. Nilvane Teófilo, explica que a entrega dos produtos acontecerão todas as sextas-feiras, por ocasião da sexta sem aedes, uma campanha de combate ao mosquito, que ocorre toda semana.

Para a retirada do repelente, as futuras mães deverão portar um documento oficial de identificação com foto, CPF, cartão do titular do Bolsa Família (obrigatórios) e a Caderneta da Gestante (caso possua).

As mulheres que não estiverem sendo acompanhadas no pré-natal serão encaminhadas para acolhimento nas Unidades Básicas de Saúde, mas isso não invalida o recebimento dos repelentes, segundo Dra. Nilvane.

A gestora ainda tranquilizou as gestantes, afirmando que não há motivo para uma corrida às Unidades Básicas de Saúde para retirada dos repelentes, já que a distribuição dos produtos para todas as beneficiárias cadastradas está assegurada.

A distribuição de repelentes para gestantes beneficiárias do Bolsa Família é considerada importante sobretudo em razão do perfil das mães de bebês com síndrome congênita de zika. Uma análise feita pelo Ministério da Saúde, no ano passado mostrava que a taxa de prevalência de bebês com microcefalia era maior entre mães na faixa etária até 24 anos, de cor negra e com até sete anos de escolaridade.

Fotos e texto de Antônio Carlos Alves