Buscando fortalecer o Projeto Água Doce no Município de Canindé, a Secretaria da Agricultura e Recursos realizou na manhã desta sexta-feira, dia 27 de outubro no Auditório da Secretaria da Educação, uma reunião para conhecer de perto a realidade do programa.

De acordo com o Secretário Roberto Lopes, a iniciativa visa saber como se encontram as pendencias de energia elétrica junto a ANEL, por parte dos usuários do Água Doce. ‘’Estamos realizando esses encontros, para tomarmos ciência da realidade de cada beneficiário, depois elaborarmos um relatório a ser enviado para a Secretaria de Recursos Hídricos e assim colocarmos em prática o acordo de gestão, onde quem fica responsável pelo pagamento da energia é o Município’’, explicou o Secretário.

Atualmente 23 comunidades são atendidas pelo programa, beneficiando 1.119 famílias, num investimento de R$ 2.518.806,73.

O Programa Água Doce (PAD) é uma ação do Governo Federal coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, em parceria com instituições federais, estaduais, municipais e sociedade civil. Visa o estabelecimento de uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano, promovendo e disciplinando a implantação, a recuperação e a gestão de sistemas de dessalinização ambiental e socialmente sustentáveis para atender, prioritariamente, as populações de baixa renda em comunidades difusas do semiárido.

Lançado em 2004, o PAD foi concebido e elaborado de forma participativa durante o ano de 2003, unindo a participação social, proteção ambiental, envolvimento institucional e gestão comunitária local. Possui como premissas básicas o compromisso do Governo Federal de garantir à população do semiárido o acesso à água de boa qualidade, além de ser amparado por documentos importantes como a Declaração do Milênio, a Agenda 21 e deliberações da Conferência Nacional do Meio Ambiente.

O PAD está estruturado em seis componentes: gestão, pesquisa, sistemas de dessalinização, sustentabilidade ambiental, mobilização social e sistemas de produção. O componente da gestão é responsável pela formação de recursos humanos, elaboração de diagnósticos técnicos e ambientais, manutenção e operacionalização dos sistemas, além de dar o apoio ao gerenciamento e manutenção dos sistemas. O componente pesquisa é direcionado à otimização dos sistemas de produção com o aprofundamento dos conhecimentos em plantas halófitas, nutrição animal e piscicultura.

Com o compromisso de garantir o uso sustentável dos recursos hídricos, promovendo a convivência com o semiárido a partir da sustentabilidade ambiental e social, o PAD beneficia cerca de 100 mil pessoas em 154 localidades do Nordeste, ampliando suas ações para garantir o acesso à água de qualidade nas comunidades difusas do semiárido.

Antônio Carlos Alves

Coordenador de Pesquisa e Redação

Da Assessoria de Comunicação da Prefeitura

Fotos de Everton Félix